Sites Grátis no Comunidades.net

Karate Shotokan



Total de visitas: 118967
Estrategias para o kumite


ESTRATÉGIAS no KUMITE

Estratégia é a arte do guerreiro. De Musashi à Sun Tzu, parece que todos os antigos samurais, sem duvida, conheciam esta frase. Nos esportes de luta, em especial o Karate, devemos ter uma ou mais estratégias de luta. Não podemos lutar ao acaso, cada luta tem uma história diferente, cada adversário cabe um modo de lutar diferente. Não falo aqui que se deva mudar o estilo de luta ( pois o seu estilo de luta é sua marca registrada), mas sim o modo de enfrentar adversários deve ser moldado. Ao se deparar com um adversário grande se luta de uma forma, já um adversário pequeno é uma outra luta ( deve ser mudado a guarda, a distância, etc.)
No passado a estratégia era uma das Dez Habilidades de um Samurai. No Karate atual, muito aprendemos destes guerreiros, você deve estudar os cinco elementos básicos de que se compõe, segundo o Budismo, toda e qualquer atitude, ou ainda os ciclos por onde o espírito tenta alcançar a perfeição, começando pela terra até chegar à paz do nada, o vazio:

* Conheça as menores e as maiores, as mais superficiais e as mais profundas coisas dentro de uma luta ( tudo sobre o shiai kumite, quer seja coisas importantes como regra, tática, técnica ou coisas sem muita importância ) - TERRA
* A água adota a forma que melhor lhe convém, se precisa desviar por causa de uma rocha ou passar por um pequeno buraco e etc.; assim o karateca deve lutar se moldando aos adversários ( alguns adversários são bons de contra ataque, outros são exímios chutadores, outros não gostam de uma luta aberta – molde-se a eles.) Se você dominar os princípios da luta , quando derrotar um homem, estará derrotando todos os homens do universo. - ÁGUA
* O fogo é o espírito que você deve ter ao lutar – seja uma luta em um campeonato interno ou seja em um combate representando seu estado, seu país – o espírito do fogo é feroz, pode ser seu amigo ou inimigo, pode queimar ou aquecer. Você precisa entender que o espirito pode se tornar pequeno ou grande durante a luta – FOGO
* É difícil você conhecer a si próprio se não conhece os outros ( me refiro a outros modos e estilos de luta, sejam estilos de karatecas ou outros lutadores, suas experiências, suas vivências, em que acreditam, como treinam, procure tirar para você novos conhecimentos, não seja radical e treine de outras formas). – VENTO
* O kumite não tem princípio nem fim. Quando você conhece o ritmo do outro, estuda o caminho, é desapegado de sentimentos como raiva, ambição, ódio, petulância e outras qualidades que são prejudiciais ao lutador, quando a técnica faz parte de você, então neste momento será capaz de vencer naturalmente. – VAZIO

Para iniciar na estratégia :

Conheça as regras de combate e ética, as teorias, estilos, métodos defensivos e ofensivos de luta. Conheça seu espírito a fundo, seus pontos fortes e fracos, suas ambições e intenções. Estudes os adversários, observe-os, seus métodos e estilo de luta. Sun Tzu escreveu: “se você conhece o inimigo e conhece a si mesmo, não precisa temer o resultado de cem batalhas. Se você se conhece mas não conhece o inimigo, para cada vitória ganha sofrerá também uma derrota. Se você não conhece nem o inimigo nem a si mesmo, perderá todas as batalha”.
Trace um planejamento de treino, físico, técnico e espiritual e siga a risca com disciplina.

Controle do tempo na estratégia :

O controle do tempo no shiai kumite deve ser ganho através da pratica. O tempo é importante em tudo, na luta pode ser precioso. Você deve conhecer o regulamento, saber quanto tempo de luta resta, divida a luta mentalmente em 4 partes. De acordo com o adversário tenha em mente como lutar em cada parte da luta. Saiba lutar com o tempo esteja ganhado ou perdendo. Existem situações em que certos golpes não devem ser nem tentados ( faltam poucos segundos de luta, você está precisando de 3 pontos, neste caso só um chute jodan ou uma projeção, não adianta tentar um soco). Em algumas ocasiões você deve esfriar a luta, ganhar tempo, sem perder o espírito ou a atenção ( rode em torno do adversário, afaste-se, simule golpes, etc. Se precisar de tempo para correr atrás do placar, não se afobe, mecha com o adversário, o incomode, finte bastante, mas não perca tempo com situações que não provoquem o ponto. Trabalhe o golpe, use artimanhas que você sabe que pode dar certo, confie no seu treinamento e nunca se desespere. Alem do tempo do relógio, você deve conhecer o seu tempo, e sobretudo o tempo do adversário. Se nunca o viu lutando o observe nos momentos iniciais, analise friamente seus movimentos, seu ritmo, mecha com ele e nunca o deixe sentir a vontade. Treine muito até compreender o princípio do tempo e sua importância no Kumite.

O caminho da estratégia

* Não pense desonestamente (lute sempre dentro das regras, não use de artimanhas que o façam arrepender-se, jamais tente machucar o adversário propositadamente)
* O Caminho está no treinamento (treine sempre, pratique as técnicas preferidas mas não se esqueça de que existem outras além destas, mantenha controle sobre o seu corpo, não cometa excessos, cuide da parte física mas não esqueça a espiritual)
* Familiarize-se com todas as artes (meios de luta, formas de treinamento, outras artes que podem trazer benefícios ao seu Karate)
* Note aquelas coisas que não podem ser vistas (detalhes fazem um campeão)
* Preste atenção a tudo, mesmo aparentes baboseiras ( não releve nenhuma etapa do treinamento, não deixe passar nada, tudo é importante na preparação)
* Não faça nada que não tenha utilidade (não desperdice o seu tempo com atitudes ou situações sem finalidade, ao treinar ou lutar não utilize de golpes sem eficiência, sem funcionalidade, treine sempre imaginando o real, seus golpes devem ser sempre fortes e no alvo, não desperdice energia)
* Seja humilde, uma luta só existe dentro do quadrado, não comente nada sobre o seu adversário, não se vanglorie de resultados, se ganhar treine para ganhar de novo, se perder, treine mais ainda , observe os erros cometidos e aprenda com a derrota.

Estabeleça estes princípios no coração e utilize da estratégia. Se aprender a lutar desta forma obterá sucesso.

A importância espiritual na estratégia:

Tanto na luta como nas situações da vida mantenha-se calmo. Veja a situação sem ficar tenso, porém alerta. Mesmo que o espírito esteja calmo, não relaxe o corpo. Não deixe o corpo influenciar o espírito e vice versa. Na hora de lutar esforce-se para deixar de lado as preocupações do dia a dia, as chateações; concentre-se apenas na luta.
Durante a luta não se preocupe muito com o placar, não se desespere. Pense sempre de forma positiva, mantenha a calma, o tempo assim estará do seu lado
Evite extremos de alegria ou tristeza ao duelar, não deixe o adversário notar seu estado de espírito.

Posição em estratégia:

Adote uma posição de luta confortável. Os pés não podem estar em uma linha reta ( o que seria ótimo para o adversário aplicar o ashibarai), o pé de trás deve impulsionar o corpo e por este motivo não o deixe colado ao chão, se arrastando; os joelhos devem estar semi fletidos, utilize a guarda conforme o oponente, mas utilize o recurso de sempre mudá-la para confundi-lo; olhe sempre com uma visão periférica observe desde os pés até a cabeça do adversário.
Na vida diária mantenha a posição de combate mentalmente e evite ser surpreendido.

A força do olhar na estratégia:

O olhar deve ser abrangente e extenso. É importante não se distrair com movimentos insignificantes do inimigo.
Assim será capaz de derrotar o adversário apenas com o olhar - antes da luta finte os olhos do adversário firmemente, sem menosprezo ou auto confiança, apenas o observe friamente sem jamais tirar os olhos antes que ele. Ao cumprimentar não tire o inimigo da sua visão, ao apertar sua mão sempre esteja agradecendo por mais uma lição.
Veja naturalmente, na hora da luta tenha uma visão de tudo, não fixe os olhos em nada, mas ao mesmo tempo veja tudo, olhos, mãos, jogo de perna, tudo do oponente é importante ser analisado. Fixar o olhar significa observar o coração do homem.
Não fixe o olhar a detalhes (público, manifestações, poluição visual de qualquer tipo), não negligencie coisas importantes pois seu espírito será confuso e você perderá a oportunidade da vitória
Na estratégia a área a ser vista é a habilidade do inimigo. Percepção e vista são dois modos de ver. Percepção consiste em sentir o campo de luta, vendo o progresso e as mudanças de vantagem, é noção do que se passa e assim poder controlar a contenda. Ver é apenas realizar os movimentos básicos da visão. Ao lutar utilize da percepção.

Os ataques:

São dois: braço e perna. Qualquer que seja não pense neles, concentre-se apenas em atingir o adversário. A sua atitude deve ser nobre, isto é ; sem indecisão, medo ou hesitação. Seja confiante e lembre-se do esforço exigido nos treinos.
Treine todos os tipos de golpes, deixe seu corpo se acostumar. Não pense que determinados golpes não foram feitos para você. Treine todos. Ao se aproximar da competição, aí sim, faça a “peneira” e só treine o que você gosta e pretende usar.
O espírito de atacar primeiro é completamente diferente do espirito de ser atacado. Executar bem um ataque, com força, velocidade e precisão; e bloquear o ataque inimigo é como construir um monstro na cabeça do oponente. Quando você ataca o inimigo, seu espírito deve ser o de um guerreiro em uma batalha.

* Dependendo do lugar:

Examine o local que vai lutar. Seu piso, vantagens e desvantagens. Nunca lute com o rosto virado para o sol. Durante o combate force o inimigo para as laterais do quadrado, procure lutar sempre no meio. Force-o a lugares difíceis como o canto do cotô, quando este estiver em posição inconveniente procure cercá-lo.
Observe as condições do local, a temperatura. Atente-se ao material que deve levar consigo. Água, material de socorro, remédios, barras de cereais e chocolates, protetores, protetor de mão e faixas azul e vermelha (lute com o seu próprio material), leve sempre consigo dois kimonos. Dê importância a sua faixa, ela carrega toda a sua história, seu suor e sofrimento, sua alegria e suas vitórias.

Os três métodos de antecipar-se do inimigo:

O primeiro é antecipar-se atacando ( sen no sen ).Quando você decidir atacar, mantenha-se calmo e lance-se rapidamente contra o adversário, ataque com o sentimento de constante vitória ou êxito
O segundo é antecipar-se ao inimigo quando ele vai atacar ( go no sen – esperar pela iniciativa).Quando o inimigo atacar, não se perturbe e demonstre frieza, ao observar seu avanço você defende e ataca com mais velocidade e força ainda, aproveitando a precipitação dele.
O terceiro método é usado quando os dois atacam simultaneamente, com o inimigo tendo a iniciativa (sen no sen ou deai – acompanhar e antecipar o inimigo). Aproveite o tempo, observe o ritmo e o “timming” do adversário, veja através do seu espírito compreendendo sua estratégia.

Conduzir:

Na luta não é bom ser conduzido pelo adversário. Você é quem deve conduzir. Obviamente o inimigo também pensa assim, mas você deve ser mais obstinado. Mecha com ele, o incomode, mude a posição de sua guarda, troque a base, confunde-o. Ele não deve gostar de lutar com você. Lhe introduza o medo, seja vigoroso com seus golpes, porém honesto. Reprima as ações úteis do adversário, mas permita-lhes as ações inúteis, arruine seus planos e domine-o.

Conhecer o momento:

Durante a luta conheça o momento em que o adversário está passando. É forte ou fraco. Observe o espírito do adversário , você pode calcular a disposição dele para lutar, se com todos os brios ou se vai tremer de medo. Após avaliar, estude seus pontos fracos e fortes, seus momentos altos e baixos durante a luta.
Conhecer o momento significa que, se a sua habilidade for grande, você verá as coisas pelo prisma correto. Se estiver em harmonia com a estratégia, reconhecerá o momento e as intenções e terá muitas oportunidades de ganhar.

Colapso ou fraqueza do adversário:

Tudo pode desabar. Casas, pessoas e adversários desabam quando sua sustentação (espírito) são afetados.
Quando o adversário começa a desabar, você deve persegui-lo sem perder a chance. Se não aproveitar o colapso do inimigo, ele poderá se recuperar e não ser tão negligente da próxima vez. Fixe o olhar no colapso e ataque-o de maneira que ele não possa se restabelecer. O ataque deve ser consistente e impiedoso. Procure terminar a luta o mais rápido possível, não se exibindo com golpes de beleza, mas pontuando o necessário e aproveitando o colapso.

Imaginar-se na posição do inimigo:

Se pensar que o inimigo está com medo, recuando, na defensiva de forma abusiva; desta forma você ficará mais forte. Pense sempre que ele está na pior...mas cuidado, jamais o menospreze.

Sem ver o espírito do adversário:

Ao lutar e não conseguir ver a estratégia do inimigo, tente recursos, finte, ameace e observe suas reações, indique que está prestes a atacar para descobrir os recursos dele. Abra brechas na sua guarda, o instigue a atacá-lo. Quando vê os recursos do inimigo, é fácil derrotá-lo usando um método diferente.
Se o adversário assumir uma atitude de modo que você não percebe a intenção dele, faça um ataque simulado e o inimigo lhe mostrará sua intenção. Aproveitando aquilo que vê, você pode vencer com segurança

Vendo o espírito do adversário:

É quando você pode ver claramente a estratégia de luta do seu adversário.
Se ele gosta de atacar o confunda, ora esperando seus ataques, bloqueando e contra atacando, ora usando o deai ou as vezes o atacando e fazendo que ele se defenda, fazendo o que ele não gosta.
Se ele prefere lutar na defensiva, finte e ameace bastante, golpeie com força e destrua sua confiança defensiva, você pode também força-lo a atacar, basta esperar e manter uma distância grande.

Contágio:

Não se contagie. Quando o inimigo está agitado e com pressa, não se incomode. Demostre calma, e ele será contagiado, relaxando a guarda e a atenção. Quando você notar o contágio, ataque com força e velocidade.
Você também pode contaminar um inimigo demonstrando um espírito despreocupado, descuidado ou fraco.

Causar surpresa:

Ataque sem avisar, quando o inimigo não espera, chute quando ele espera soco e vice versa. Utilize golpes que ele nunca espera de você e quando ele estiver com o espírito indeciso aproveite a vantagem e derrote-o sem lhe dar espaço para respirar e recuperar-se

Assustar:

O medo pode ser um grande aliado e ocorre diante do inesperado. Você pode assustar o adversário desde o seu aquecimento ( se ele o estiver lhe observando, sua disciplina e concentração o farão parecer um obstinado a vencer – aqueça-se como se estivesse lutando com vigor e espírito forte). Seu Kiai deve ser poderoso, não em altura de som, mas em conteúdo. Sua expressão facial deve demonstrar um guerreiro pronto para a batalha. O olhar compenetrante, ao se cruzarem jamais desvie o olhar. Tudo isso assusta muito. Você deve usar a vantagem de pegar o inimigo com medo

Ganhar aos pedaços:

É fácil vencer quando o inimigo está caindo. Se o processo dele está enfraquecendo vá ganhando aos poucos. Aplique um chute no rosto ou uma projeção, desequilibre-o, golpeio-o com extrema força e vá minando-o psicologicamente.

Causar confusão:

Faça o inimigo ficar confuso. Podemos força-lo a pensar : aqui?, ali?, desse jeito?, daquele jeito?, devagar, rápido?, etc. A vitória é certa quando o adversário for pego em ritmo que lhe confunda o espírito.
Podemos confundir o adversário atacando com diversas técnicas, simulando jogo defensivo ou ofensivo, fazendo-o pensar o errado, e quando estiver confuso, a vitória estará perto.

O Kiai:

É uma expressão de força, um grito que é feito em uma expiração muito forte, o abdome é contraído, sendo usado para aumentar a potência do golpe, assustar o adversário, como um grito de guerra ou como um modo para superar a si mesmo.
O kiai pode ser antes, durante e depois. Grite conforme a situação. A voz mostra sua energia.
No inicio da luta podemos gritar e chamar energia, zanchin. Durante grite no momento que ataca e se torne mais forte e concentrado. Depois da contenda, damos o grito da vitória.
O kiai pode ser uma finta, pode ser usado para assustar e é usado par entrar no ritmo.

Esmagar:

Quando observar que o adversário possui o espírito fraco e desorientado, não lhe permita chances, esmague-o . Se for menos habilidoso que você, se o ritmo dele for desorganizado ou sua posição recuada demais, se demonstra medo, não lhe dê tempo para respirar. Isso é essencial. O principal aqui é não deixar ele começar a gostar da luta e recuperar a auto-estima.

Repetir erradamente:

Não é bom repetir a mesma coisa várias vezes em uma mesma luta. As vezes repetir uma técnica é inevitável, mas não abuse. Se fizer um ataque e falhar tenha cuidado, o adversário saberá o que você vai fazer na próxima tentativa. Mude radicalmente o jogo, tente outras fintas e técnicas.

Penetrar as profundezas:

Podemos destruir o espírito do adversário desmoralizando-o completamente com golpes também desmoralizantes. Isto significa golpear o corpo e a alma. Quando tivermos esmagado o espírito do inimigo nas profundezas não haverá maiores preocupações.

O comandante:

Pense no inimigo como se ele fosse um soldado do seu exército, assim poderá conduzi-lo e persegui-lo. Você se torna o general e o inimigo é a tropa.

Força:

Se você pensar na força do adversário tentará golpear com mais força e não conseguirá nada. Sempre que for lutar não pense coisas deste tipo, pense simplesmente em golpear com eficiência absoluta. Concentre-se em atacar o alvo sem erros. Não tente golpear com força e, claro, nem pense em desferir um golpe fraco.
A mão forte vence não tem sentido. Vença através da sabedoria da estratégia.

Perseguir:

O caminho da estratégia é perseguir o adversário de um modo confuso, obrigando-o a se desviar, recuar e avançar sem vontade própria. A essência é lançar-se sobre o inimigo e forçar a queda de sua estratégia. Muitos retrocedem, só contra-atacam ou usam do deai, quem luta somente assim, acaba dominado e acha que isto é absolutamente normal, se viciam neste jogo. Você deve perseguir o adversário e forçá-lo a obedecer o seu espírito.

Atitudes:

Você deve assumir o comando da luta e atacar. Você deve manipular a atitude do oponente. Ataque quando ele estiver relaxado, confundindo, irritando e atemorizando . Aproveite a vantagem confusa do adversário e vencerá facilmente.
Na luta, seja ciente do seu poder ofensivo e defensivo, observe o inimigo, note o campo onde se travará o duelo. Tenha uma atitude observadora.

Jogo de perna:

Jamais perca o controle de seus pés. Mova-se com velocidade ou de forma lenta, imponha o ritmo a luta. Não se contagie pelo modo como o adversário se move

Ritmo:

Os grandes lutadores não são lentos, mas não demonstram pressa. Quando o adversário se apressar, você deve agir de forma exatamente contrária, permanecendo calmo. Se ele estiver muito calmo e relaxado, procure incomodá-lo com um jogo mais rápido. Não se influencie pelo inimigo.

Cinco fatores :

A arte da guerra é governada por cinco fatores: a lei moral, o céu, a terra, o chefe, e; o método e a disciplina.
A lei moral: faz com que o público, árbitro e demais atletas, inclusive seus adversários, o achem justo e honesto, íntegro e bom lutador, respeitador e bom entendedor das regras e éticas do shiai kumite – isto vai lhe dar moral, vai ser respeitado e admirado, desta forma todos estarão do seu lado, torcendo por você.
O céu significa a noite e o dia, o frio e o calor, o tempo e as estações ( você deve estar sempre, em qualquer tempo, preocupado em progredir, no frio ou no calor, na noite ou no dia, etc.)
A terra compreende as distâncias, grandes e pequenas, perigo e segurança, as oportunidades de vitória ou derrota
O chefe representa as virtudes da sabedoria, sinceridade e coragem
Método e disciplina representam a sua autopreparação.

Cálculos :

O lutador que vence, fez muitos cálculos no seus treinos antes do combate. O lutador que perde uma luta, fez poucos cálculos antes. Portanto fazer muitos cálculos leva a vitória, poucos leva a derrota.
Portanto estude e calcule tudo antes do combate. O estilo dos seus adversários, o local de combate (se é piso ou tatame, se é escorregadio ou áspero, posição do sol, etc.), os árbitros que estarão atuando, as reações do público. Visualize-se chegando no local de competição, colocando o kimono e o material, sua chegada a área de luta, suas ações, situações que possam ocorrer durante as lutas e sua comemoração, tudo sempre de forma positiva.

Lutar sem lutar:

Lutar e vencer em todas as batalhas não é a glória suprema; a glória suprema consiste em quebrar a resistência do inimigo sem lutar. Faça-o lhe respeitar, lhe admirar através de seus atos, técnicas, táticas, estratégias e acima de tudo sua humildade. Quando o adversário lhe admirar desta forma, irá lhe enfrentar como se estivesse diante de um lutador muito superior, desta forma já entrará derrotado e você vencerá sem lutar.

Cinco fundamentos para a vitória:

Será vencedor quem souber quando lutar e quando não lutar.
Será vencedor quem souber manobrar as forças superiores e inferiores.
Será vencedor aquele que estiver forte de espírito.
Será vencedor quem estiver autopreparado, esperando para surpreender o inimigo despreparado.
Será vencedor quem tiver capacidade estratégica e tática, tendo técnica lapidada através de árduo treinamento.

Garantias:

Os bons guerreiros de antigamente primeiramente se colocavam fora da possibilidade de derrota e depois esperavam a oportunidade de derrotar o inimigo.
A garantia de não sermos derrotados está em nossas próprias mãos, porém a possibilidade de derrotar o inimigo é fornecida pelo próprio inimigo
A garantia contra a derrota implica em táticas defensivas, a capacidade de derrotar o inimigo significa tomar a ofensiva. Manter-se na defensiva abusivamente indica força insuficiente, atacar em abundância indica falta de cuidado, por isso seja sempre moderado.

Não cometa erros:

O que os antigos chamavam de guerreiro inteligente era alguém que não apenas vencia mas que se sobressaia vencendo com facilidade.
O guerreiro vence os combates não cometendo erros. Não cometer erros é o que dá a certeza da vitória, pois significa conquistar um inimigo já derrotado. Por isso o guerreiro hábil coloca-se em uma posição que torna a derrota impossível e não perde a oportunidade de aniquilar o inimigo

Impor vontade:

Quem estiver primeiro no campo de batalha e esperar o inimigo estará descansado para o combate, quem vier depois e tiver de apressar-se, chegará exausto. Dessa forma o guerreiro inteligente impõe sua vontade ao inimigo.
Se o inimigo estiver descansando, fustigue-o, se acampado silenciosamente, force-o a mover-se.
Force-o a revelar-se, de forma a exibir seus pontos vulneráveis.
Você poderá ter certeza dos sucessos dos seus ataques se executa-los em lugares não defendidos. Poderá ter certeza de suas defesas se mantiver posições que não possam ser atacadas. Assim sendo , os lugares a serem atacados são exatamente os que o inimigo não pode defender.

Adversário preocupado:

Deixe seu inimigo muito preocupado com seus ataques. Para ele fortalecer sua vanguarda, enfraquecerá a retaguarda; fortalecendo a altura jodan , enfraquecerá a chudan, fortalecendo a esquerda, enfraquecerá a direita e o inverso.

Natureza:

Na luta pratique a dissimulação e terá sucesso. Mova-se com intenção e não ao acaso. Deixe que a sua rapidez seja como o vento, sua solidez como uma montanha. Ao atacar seja como o fogo
Deixe seus planos ficarem secretos e impenetráveis como a noite e, quando atacar, seja como um relâmpago.
Pondere e delibere antes de fazer um movimento. Vencerá quem tiver aprendido a arte do desvio. Essa é a arte de manobrar

Inimigo desesperado:

Quando cercar um inimigo, deixe uma brecha de saída. Isso não significa deixa-lo fugir. O objetivo é faze-lo acreditar que é um caminho para a sua segurança, evitando que lute com a coragem do desespero.
Pois não se deve lutar e pressionar demais um inimigo desesperado.

Cinco erros:

A arte da guerra nos ensina a não confiar na probalidade do inimigo não vir, mas na nossa presteza em recebe-lo; não na chance dele atacar, mas em vez disso, no fato de tornarmos nossa posição invulnerável.
Há cinco erros perigosos que podem afetar um lutador; os dois primeiros são: negligencia, que leva a destruição; e covardia que leva a captura.
Depois são; a falta de treinamento (imperfeito ou sem planejamento), que é sensível à vergonha e, um temperamento prepotente, que leva ao descaso.
O último desses erros é o excesso de confiança e menosprezo ao adversário, que gera, por fim, a derrota total.
Esses são os cinco erros aparecem na derrota, pelo menos algum deles estará presente. Que seja objeto de estudo.

Precaução:

Quem não for precavido e fizer pouco do adversário, certamente conhecerá a derrota.

Sinais:

Quando o inimigo estiver ao alcance da sua mão e permanecer imóvel, está confiando na solidez natural da sua posição (talvez esperando para o deai). Quando ficar afastado e tentar provocar um combate, estará ansioso para que o adversário avance. O aumento de preparativo são sinais que o inimigo está para avançar (portanto cuidado quando o adversário começar a trabalhar o golpe, observe a mudança do jogo de perna). Muitas ameaças são sinais que ele quer que você ataque.
Quando o adversário se curva durante o intervalo, está cansado ou sentindo seus golpes. Se bebe água em abundância, seu espírito também está pedindo água. Se solta kiais a todo o momento, pode estar com receio, pois grita apenas para recuperar a coragem. Se há confusão na comunicação dele com o técnico, mostra desavenças e falta de entrosamento. Se irrita-se com os árbitros ou público, demonstra desequilíbrio.
Quando não aceita o atendimento médico, é claro que está disposto a lutar até a morte. Quando abaixa a cabeça e confirma os seus golpes como se estivesse aprovando e parabenizando pelos seus ataques, demonstra humildade e respeito por você. Observe os sinais.

Não deseje fama:

O lutador que avança sem desejar fama e recua sem temer o descrédito, cujo o único pensamento é vencer fazendo uma boa luta, é um verdadeiro guerreiro.

Velocidade:

A rapidez é a essência da arte da guerra. Tire proveito da falta de preparação do inimigo, ataque por caminhos onde não seja esperado acertando alvos desprotegidos.
Para o bom lutador, a o domínio da velocidade deve ser primordial, pois assim ele jamais perderá oportunidades.
Ataque como o trovão, que é ouvido antes que se tenha tempo de tapar o ouvido.

Dicas:

Ganhe a luta antes de entrar no koto (área de competição)
Olhe o adversário dentro de sua alma, mas sem menospreza-lo.
Cresça na frente do oponente (como o gato faz na frente do cachorro)
Ao adentrar no koto e começar a luta só de atenção ao sinal de hajime (começar) e yame (parar).
Após o yame volte a sua posição sempre em zanchin (espírito alerta), relaxando o corpo, mas, nunca o espírito.
Lute sem ódio e também sem paixão, pois qualquer destes sentimentos comprometerá sua luta.
Lute sempre para vencer, não esteja preocupado com as pessoas, lute só para você e Deus. Após a luta ofereça às pessoas.
Combata sem revanchismo, pois você pode lutar mil vezes contra o mesmo adversário e serão mil lutas diferentes.
Dê o melhor de si, independente do resultado, você tem que sair com a sensação de que seu dever foi cumprido.
Após a luta encare seu ex-adversário como um amigo conquistado e não como um derrotado.

Tipos de lutadores:

Existem somente três tipos de lutadores: emocional (luta com os sentimentos, sensível, com o coração), corporal (expressa-se durante o combate com os movimentos, gestos, corpo) e o cerebral (luta sempre com o pensamento, inteligência, cérebro). Você com certeza é um destes lutadores. É importante descobrir que tipo você é, e com este dado elaborar um treinamento próprio.

Lutador cerebral:

Forte inclinação a passividade, trabalha muito bem a parte defensiva. Controla a área de luta com perfeição, considera sua, arma armadilhas e quase sempre espera momentos favoráveis para si.
Possui um grande domínio da distância longa. Prefere esperar e segurar resultados a se arriscar. Não se preocupa com o tempo. Se guia pela razão e não pela emoção. Não luta para o público, luta para si ou para a equipe, é um lutador de resultado. Não lhe interessa ganhar por 1 ou por 8 pontos de diferença.
Entendemos o lutador cerebral como aquele que não enfrenta abertamente o seu adversário, espera pelo erro e dá o bote. Contrariamente ao que se pode pensar, sabe atacar com determinação, força e precisão quando necessário.
Possui um ótimo sentido de oportunismo. Gosta de lutar em círculo, evitando golpes diretos e defendendo com esquivas, utiliza muito do contra ataque (responde a todas as ações do adversário e seleciona o momento certo de golpear) e da antecipação (utilizando-se de sua excepcional capacidade de antever de forma lógica as reações do oponente).

Lutador emocional:

São claramente ofensivos, gostam de trabalhar intimidando, invadindo o campo do adversário e forçando ao combate aberto.
Buscam o corpo a corpo, distância curta, e tentam acabar o combate de forma rápida. São impulsivos e tentam impor um ritmo fortíssimo a sua luta, utiliza o coração e não dá espaço a razão.
Suas técnicas são muito fortes e vigorosas. São muito sensíveis e intuitivos. Par lutar bem, precisa sentir a luta em toda a sua intensidade. Recebe muitos golpes, pois luta de peito aberto, sempre procura o combate
Lutam em linha, com técnicas rápidas, diretas e simples. Possui um amplo repertório de técnicas ofensivas. Gosta de enfrentar o adversário impondo pressão.

Lutador corporal:

Grupo de lutadores, com intenso domínio de técnicas, polivalentes e se movem com grande soltura, e combatem em qualquer situação.
Gostam de lutar no centro. Sua distância preferida é a média, mas são capazes de lutar em qualquer outra.
Luta de forma bonita, recebendo o aplauso do publico, envolve o adversário com o seu movimento e técnica perfeita. É reconhecido como um grande lutador, não por impor força ou lutar por resultados par ser campeão, mas por suas lutas de beleza incomparáveis.

Fases do golpe:

Todos os golpes, sem exceção, devem passar por estas fases:
Preparação (é a forma de chegar ao adversário, fintar, trabalhar o golpe para poder chegar no adversário)
Execução: arrancada (velocidade, explosão) , aproximação (chegar sem deixar o adversário se preparar), impacto (contato com o alvo) e retração (puxada do golpe)
Volta a base (retornar a postura)
Nova preparação (iniciar tudo outra vez).
Jamais lute sem estudar estas fases, são essenciais para que seus golpes surtam o efeito desejado.

Elementos:

Esses são os elementos que você precisa saber ao lutar:
Físicos : posições (é a forma de lutar de cada um - lateral, frontal, base aberta ou fechada), guardas (alta, média, baixa, fechada, aberta, invertida, destra ou canhota), distâncias (curta, média e longa), planos pontuáveis (locais de pontuação) e; técnicas de braço, perna e de defesa.
Cognitivos : atitudes (sua forma de reagir a situações durante o combate), versatilidade (forma de possuir maneiras de respostas diferentes, mudança de jogo), atividade, passividade, determinação (você deve estar determinado como um soldado durante o combate)
Sensitivos : realidades (como você está na hora das luta, seu estado de espírito), impulsos (ofensivo ou defensivo), energia (positiva ou negativa)
Fatores de rendimento físico : resistência, força, potência, velocidade, flexibilidade, elasticidade, tonicidade, equilíbrio, lateralidade, esquema corporal, praxia fina e global, noções de espaço e tempo.
Estruturas psicológicas : caráter, maturidade, inteligência, memória, concentração, adaptação, autocontrole
Fundamentos pessoais : motivação, emoções, estado de ânimo, medo e sensibilidade.
Procure estudar e compreender estes elementos. Sua vitória dependerá de como estejam.

Os 15 Defeitos :

Os ítens a seguir levam fatalmente alguns guerreiros a derrota (Sun Bin – sucessor de Sun Tzu):
Se consideram incapazes, são arrogantes, ambiciosos, gananciosos, impulsivos, lentos, falta-lhes bravura, são fracos, falta-lhes confiança e firmeza, são relaxados, preguiçosos, perversos, egocêntricos e indisciplinados.

Atitudes em relação ao treinamento:

O karate antes de tudo é uma arte marcial, desta forma pratique com a máxima seriedade. Em cada passo, em cada técnica imagine um adversário que empunha uma espada. Cada golpe deve ser dado pensando nisto, você deve estar preparado para destruir seu oponente com um único golpe. Acredite que se você falhar, pagará com sua própria vida. Pensando nisso seu espírito será de concentração e energia. Você descobrirá que o treinamento com o tempo irá beneficiar não só sua técnica mas outros aspectos de sua vida.
Você não deve treinar por meios de palavras, treine com o corpo. Suporte a dor e a aflição enquanto se esforça para se disciplinar e polir seu espírito e corpo.
Não queira saber tudo de uma vez. Pratique uma técnica nova com afinco. O karate tem muitas técnicas, o tempo lhe mostrará quando aprender outra. Escute seu mestre, não tente passar adiante se não compreendeu o presente.
Nunca tente se exibir. Quebrar telhas ou possuir nós nos dedos não são provas de um grande mestre de karate. Lembre-se da humildade.
Seja sempre cortês, respeitoso e tenha boas maneiras. Mantenha-se longe dos vícios como bebida, drogas, jogo e fumo. A cortesia não deve limitar-se apenas ao dojo. Em casa, na escola, no trabalho ou em qualquer outro lugar não devemos agir contrariamente às palavras dos superiores.
Ignore o que não é bom e adote o que é bom. Ao observar a prática dos outros, ao descobrir alguma coisa que deve aprender, procure dominar isso sem hesitação. Se você vir um homem se entregar ao ócio ou ao vício, examine a si mesmo com atenção: é bom ou ruim? Quando vê uma pessoa chutar bem, pergunte-se por que o chute dele é tão bom, como chutar desta forma; em que o chute dele é diferente do seu.
Por último pense na vida de cada dia como um treinamento de karate. Não limite seu karate ao dojo. O espírito desta arte marcial se aplicam aos aspectos da nossa vida diária. O esforço nos treinos, o suor sofrido e a dor sentida; tudo pode ser útil em casa, escola ou no seu trabalho. Seu corpo e espírito forjado nos socos, defesas e chutes da prática intensa não será derrotado às provações da vida. Quem se fortalece através de lutas e combates intensos não deverá encontrar dificuldades em enfrentar nenhum desafio. Alguém que suportou anos a fio o sofrimento físico e mental para aprender uma técnica, deve ter condições de encarar e vencer qualquer tarefa e executá-la sem medo.

O Treinamento :

Este é um exemplo, é como eu planejo o meu treinamento, que talvez possa servir de base para você montar o seu.
Treine a parte física - musculação, treinos com atividades aeróbicas (bicicleta, corrida progressiva até atingir os 30 minutos, esteira, piscina – 1.500 metros, corda, etc.) e treinos de atividades anaeróbicas (tiros de velocidade com 25 a 50 metros).
No inicio da ano treine mais a parte aeróbica, a partir de março de ênfase a parte anaeróbica. A musculação deve ser praticada por todo o ano (cuidado com o excesso de peso).
Pratique uma luta de chão, para um maior “gás”, além de lhe favorecer em garra, força e espírito (você deve praticar duas vezes por semana e suspender na semana que antecede a competição).
Não misture o treino físico com o técnico, ou correrá o risco de não realizar nenhum dos dois de forma correta. Procure treinar a parte física em um turno (manhã cedo), e a parte técnica em outro turno (no final da tarde ou de noite).
Procure saber o horário em que vai lutar na competição (exemplo: 3 horas da tarde) e então treine no mesmo período e deixe o seu corpo acostumado com o mesmo horário em que irá competir.
Treine em pisos diferentes, a areia fofa vai lhe dar maior explosão, um chão escorregadio vai lhe dar maior estabilidade, na piscina ou na praia força muscular, chão molhado e liso vai lhe fazer treinar movimentação. Dificulte seu treino, puxe mais de você mesmo.
Leve em consideração o treinamento espiritual, descubra a sua própria forma de achar o equilíbrio de sua alma. Pratique acima de tudo ao pensamento positivo.

Exemplo de preparação :

O treino técnico deve ser assim: no inicio da temporada (janeiro) treine apenas kihon e kata, tendo em vista a visualização dos adversários, correção de posturas, espírito e poder de concentração.
A segunda etapa (fevereiro) corresponde ao treinamento de força – treino no saco, makiwara, raquetes, escudos , aparadores e lutas com protetores (tipo jiu kumite, sem preocupação com técnicas ou táticas – treine de forma mais “grossa” e “bruta”).
A terceira etapa (a partir de março) é o treino específico para o shiai kumite – treine todos os golpes (chutes, socos, uchis, projeções, seqüências), alvo, sparring e simulações de luta. Estude os esquemas ofensivos e defensivos (defesa e contra ataque, deai, antecipação). Analise e treine os estilos de luta. Sempre pratique os exercícios no mínimo por três minutos, sem pausa (isso vai lhe condicionar a estar bem na luta- só que na competição são três minutos com pausas, você estará bem acima do condicionamento do adversário).
Treine no mínimo três vezes por semana a parte física e também a parte técnica. Nunca menos que isso.
É interessante você ter uma conversa com um nutricionista – a sua alimentação faz parte do treinamento. Da mesma forma procure um psicólogo e converse abertamente sobre seus planos, ambições, medos e vontades no que se refere as competições. Tenha um bom médico para fazer seu acompanhamento, deixe-o a par de todas as suas medicações.
Ao se aproximar de uma competição treine os golpes que mais gosta (duas semanas antes), fazendo a “peneira”, treine praticamente alvo.
Jamais treine na véspera ou no dia de uma competição. Além do risco de se machucar, você deve guardar todas as energias para o momento da luta. Descanse nestes momentos, reflita sobre o treinamento, pense de forma positiva e se imagine em todos os momentos, desde quando chegar ao ginásio até a subida no pódio e a comemoração com os amigos.
Após uma competição, descanse um dia. Após este dia, faça um treino leve, só com alongamentos ou um relax na piscina. Se tiver suas lutas filmadas, procure assistir atentamente, observe seus erros e acertos, se auto avalie.
Lembre-se que o descanso faz parte do treinamento. Cuidado para não ficar estressado de tanto treinar. Se sentir isso, pare um pouco, tire um ou dois dias para refletir. Nunca treine mais que 5 ou 6 dias por semana.
Mude seus treinos, faça variações. Treine na água, na praia, com música, com pesos, com elástico, etc.
Nunca esqueça : você é o seu treino!

Guarda (kamae te):

Se o adversário está com a guarda alta, ele está guardando a altura jodan, mas desguarnecendo a altura chudan, cuidado, ele pode estar deixando livre embaixo para você atacar e então ele vai contra golpear.
Guarda aberta – ele está se mostrando relaxado para você golpear, com certeza está esperando para contra atacar.
Guarda muito baixa (gedan) – está chamando sua atenção para então lhe atacar. Da mesma forma se ele estiver com a guarda invertida.
Guarda muito recuada (braços próximos demais do corpo) – demonstra falta de maturidade do adversário, ou medo.
Guarda muito avançada (braços longe do corpo) – está tentando chegar próximo de você sem demonstrar. Cuidado com o ataque com o braço da frente. Ele vai estar na mesma distância, mas o braço dele estará mais próximo.
Cuidado com os lutadores canhotos. Geralmente lutam com as duas guardas (direita e esquerda na frente).
Não se atente muito para os movimentos que o inimigo estará fazendo com as mãos para lhe chamar a atenção .
Utilize sua guarda como se fossem espadas para atacar e escudos para se defender.

Distâncias:

Existem três tipos de distâncias no shiai kumite – curta, média e longa.
A curta é utilizada quando se quer fazer pressão, forçar o adversário a lutar abertamente, a atacar ou ser atacado. Cuidado para não fazer pressão e acabar sendo golpeado, por isso pressione e fique atento a reação do adversário. Bom proveito se utilizada com inimigo receoso. Com adversário calmo, que não se incomoda com a movimentação, demonstrando segurança e com firmeza, neste caso não deve ser aplicada.
A média é a distância mais segura pois tanto lhe trará chances de defesa como de ataque. Utilize para estudar o adversário no inicio da luta.
A longa, é utilizada como grande recurso defensivo. Usada para segurar resultado, para evitar o ataque inimigo. Seu ponto fraco é ser inútil para atacar. Cuidado para não abusar, use-a para confundir o adversário, deixe-o pensar que você está evitando o combate, para então surpreende-lo com um ataque devastador.
A distância deve ser pesquisada para atingir a vitória.

Bases:

Se o adversário estiver com a base errada: um pé atrás do outro – utilize o ashi barai por fora com a sua perna de trás, desequilibrando. Base muito aberta – o ashi barai deve vir por dentro com a sua perna da frente.
Mantenha sua base confortável, deve lhe dar potência no arranque tanto para atacar como para recuar. Não fique aberto ou fechado de mais. Os joelhos devem estar semi fletidos.

Chutes:

Treine todos os tipos. Na fase de peneira treine os que mais gosta.
Para potência utilize o saco de pancadas. Para treinar a velocidade pratique na raquete.
Aprenda a fintar quando for chutar jodan. Se vai chutar mawashi do lado direito, finte uramawashi no lado esquerdo (com a mesma perna) e o inverso. Se vai chutar uramawashi, finte o mawashi. Confunda seu adversário, nunca deixe saber aonde vai chutar.
O maegueri é um chute fortíssimo. Mas cuidado, ele oferece demais o perigo do contra ataque. Utilize-o se o inimigo oferece uma brecha muito grande em sua guarda, ou se for lento demais.
O shiro gueri e o shiro mawashi gueri devem ser praticados, mas escolha os adversários em que poderá usá-los. Necessitam de extrema velocidade e precisão. Se tentar uma vez na luta e errar, não repita ou correrá o risco de ser golpeado nas costas.
O yoko gueri, deve ser utilizado como um “chutão”, geralmente com a perna da frente, quando o adversário estiver próximo a linha lateral para forçá-lo a sair da área.
O fumikomi ou “pisão”, deve ser utilizado apenas quando o inimigo estiver no chão após você ter derrubado-o.
No shiai kumite jamais utilize: mikazuki gueri, tobi gueri e outros chutes do karate arte.
Mesmo que você seja muito bom de braço, nunca deixe de treinar os chutes. Lembre-se que a pontuação (2 ou 3 pontos) é importante, além disso você deve estar condicionado a utilizar este recurso quando precisar.

Golpes de Braço:

Todos os karatecas usam e abusam dos golpes de braço. O guiaku zuki é o principal deles. Muito utilizado tanto como ataque e principalmente como contra ataque, quase sempre na altura chudan. Para atacar procure trabalhar bem o golpe, finte e ameace bastante. Ao golpear utilize o quadril e o ombro para penetrar bem. Cai bem em qualquer tipo de adversário.
O kizame zuki deve ser utilizado principalmente na altura jodan. Ë um golpe para surpreender o adversário.
O uraken deve ser utilizado com o braço da frente, especialmente se o adversário estiver com a guarda baixa. Sempre jodan.
O sufocante deve ser praticado sempre. É um dos golpes que mais utilizo. O braço deve chegar antes do que o corpo. Jogue os braços e deixe o adversário confuso. Você pode tanto bater com a mão da frente ou a de trás. Espane, saia abafando, jogue seus braços na guarda do adversário, encurte a distância, grude e ao se aproximar atinja o inimigo.
Utilize das sequências.
Seus braços devem ser como espadas.

Defesas:

É natural termos um braço e uma mão dominante. Mas as defesas fogem a regra. Aprenda a defender com as duas mãos. Se uma falhar a outra deve entrar em ação.
Ao defender-se mantenha a calma, nada pode lhe abalar, jamais demonstre que sentiu o golpe do adversário.
Seus músculos abdominais devem estar sempre bem trabalhados, isso vai ajudá-lo a assimilar melhor os golpes sem sentir. Lembre-se que toda dor vem do desejo de não sentir dor. Portanto, não tema nada ao se defender; imagine-se protegido como se estivesse portando um escudo impenetrável, você deve ser uma fortaleza.
A mão que está na frente deve ser a mais utilizada, mas nunca esqueça a de trás. Defenda sempre para baixo ou para os lados, se você defender para cima corre o risco de levar o golpe do adversário para o seu rosto.
Cuidado para não defender sempre em linha, somente recuando. Quebre a linha de ação do inimigo, desvie sua rota e quebre a direção indo para a esquerda ou direita ao recuar. Isso vai por si só acabar a sequencia do adversário.

Honra:

Os antigos samurais tinham o seu código de honra, o lutador de hoje deve ser consciente do que isto significa:
Se o adversário for fraco ou inexperiente, nunca humilhe por capricho ou apenas para aparecer. Isto é covardia.
Se for de idade avançada, mesmo que seja fácil derrota-lo, respeite sempre.
Se ele estiver sentindo dor, não tente machucá-lo mais ainda, isto é perversidade.
Jamais tente machucar um adversário de propósito, seja para inutiliza-lo ou para se vingar de algum golpe tomado. Isto demonstra fraqueza de espírito.
Quando o adversário estiver de costas ou no chão, trate de controlar seus golpes, isto é consideração.
Nunca espere ser beneficiado pela arbitragem, não procure ser “colega” dos árbitros, isto seria deslealdade.
Golpes baixos como arranhões, tapas e mordidas, levam a vergonha. Utilize golpes com o dedo (nukite) apenas em forma de defesa pessoal, assim como golpes na altura do pescoço ou testículo, pois usados no kumite também significam vexame.
Se tiver que usar o karate na vida real use apenas na forma de pensar e agir. Se não for possível e se ver em situação que tenha que utilizar, procure não machucar. Se for impossível não machucar, não aleije. Lembre-se por toda a vida: os punhos não são para matar, mas sim para proteger a vida.
Só utilize o karate para o bem, jamais para fins maléficos. Isto é ser fiel a sua arte marcial escolhida.
Não desista quando as dificuldades aparecerem, esforce-se para possuir um bom caráter, respeite tudo e todos na hora da luta, contenha seu espírito de agressão e mantenha-se fiel aos seus princípios, isto é seguir o dojo kun.
Lembre-se sempre de manter o seu nome limpo, assim será lembrado como um lutador “limpo” e honesto, digno de ser um samurai. A honra é a alma do guerreiro.

Tópicos

* Cuide da sua faixa e do seu kimono, guarde sua faixas anteriores (são recordações de seu esforço), seu kimono deve estar sempre limpo.
* O kimono é branco porque representa a paz, a faixa preta é a ultima e em contraste com o branco representa o yang e o ying.
* A faixa representa o seu grau de conhecimento, vai ficando escura, sai da branca e chega até a preta. Ao chegar na preta a faixa vai envelhecendo e com isso passa a desbotar a ficar branca, e o ciclo se fecha, começa na branca e termina na “branca”.
* Estude o Karate, suas origens, seus princípios filosóficos e especialmente seu lema.
* Nunca treine o Karate com a intenção de utilizar para finalidades maléficas.
* Respeite o seu mestre, tenha o agradecimento sempre em mente.
* A competição é uma fase, aproveite bem, mas lembre-se: se você não tiver um Karate de verdade, quando a fase da competição terminar, o seu Karate também terminará.
* Aprenda o kata da sua faixa e sempre treine os anteriores, não queira aprender os katas das faixas superiores, não coloque o carro na frente dos bois.
* O kata é um treinamento individual, aprenda e tire dúvidas com o seu professor, mas a prática deve ser sua, treine em casa diariamente.
* Quebrar telhas, tijolos ou barras de gelo, podem ser atividades realizadas por qualquer um, basta praticar, não é necessário ser um karateca para realizar tais “proezas”, portanto se você achar interessante procure orientação, mas saiba que isto não lhe vai fazer um karateca melhor ou pior.
* Jamais participe de desafios, o verdadeiro karateca não precisa provar nada para ninguém. Se quiser colocar em pratica seus conhecimentos, lute na academia, em campeonatos e torneios, sempre com quem sabe, com quem esteja preparado. Da mesma forma nunca desafie ninguém.
* Pratique a humildade.
* Lembre-se que um dia você foi faixa branca. Nunca negue ajuda ou conhecimento, não ache ruim treinar ou lutar com um branca, tenha paciência e tolerância.

Criar um Site Grátis   |   Create a Free Website Denunciar  |  Publicidade  |  Sites Grátis no Comunidades.net